Tratamento de Traumas Emocionais

O que são Traumas Emocionais

Traumas emocionais são marcas impressas em nosso psiquismo, decorrentes de situações dolorosas que vivemos e que não conseguimos reprocessar emocionalmente.

Dessa forma, os traumas emocionais disparam, automaticamente, gatilhos mentais e emocionais que nos fazem reagir de  forma inadequada perante as situações da vida. E isso ocorre sem que tenhamos chance de controlar as nossas reações.

Por exemplo: imagine que uma pessoa está caminhando por uma rua deserta à noite. Imagine também que nesse momento, um assaltante aparece e age com muita agressividade, gritando e até mesmo machucando essa pessoa. Para completar o cenário, imagine que, quando essa pessoa está ali, jogada no chão, machucada e com medo,  uma moto barulhenta passa distante. O que acontece é que o nosso subconsciente registra todas as informações do ambiente com uma finalidade muito bem definida, ou seja, se no futuro, aquela pessoa se colocar em uma situação de alguma forma parecida com a do assalto,  imediatamente o subconsciente irá entrar em estado de alerta, disparando uma série de mecanismos físico-químico-emocionais, preparando aquela pessoa para fugir dali.

Pode ser que, no futuro, essa pessoa tenha um pico de aceleração cardíaca toda vez que escutar um barulho de moto… ou toda vez que se ver em algum lugar com pouca luz, ou ainda, pode ser que o seu psiquismo tenha registrado que andar sozinho é perigoso…

Perceba que as reações da pessoa, toda vez que ela se coloca em alguma situação que lembre o que ela sofreu, ativa instantânea e violentamente, os gatilhos mentais e emocionais de medo, angústia, sofrimento e impotência. Mesmo que a pessoa tente se controlar e diga para si mesma que está tudo bem, que ela não está em risco, etc., simplesmente não adianta.

Esse foi apenas um único exemplo para uma explicação didática e, naturalmente, não abrange a imensa quantidade de situações traumáticas e consequências que podem ocorrer na vida das pessoas. Há muito mais situações dolorosas e angustiantes, vivenciadas pelas pessoas, e que ativam gatilhos terríveis, fazendo com que muita gente se torne prisioneira do seu passado, mesmo que os traumas tenham ocorrido há muitos anos.

Ampliando o Conceito: Traumas e Marcas Emocionais

Perceba também que não é somente um trauma, ou seja, um único grande acontecimento doloroso, que deixa marcas em nosso psiquismo. Na verdade, o nosso subconsciente ( ou inconsciente, como preferir), registra absolutamente tudo que ocorre à nossa volta, não somente os grandes eventos mas, também, as pequenas coisas que vão se acumulando e agredindo, machucando, e consequentemente, instalando em nós, crenças limitantes e incapacitantes.

Gosto de fazer a seguinte analogia: Se você atira um carro a 100 KM por hora contra uma parede, irá destruir o carro, o que equivale a um trauma, um acontecimento violento e doloroso em um ser humano.
Por outro lado, se você pegar outro carro e dar pequenas marteladas nele, dia após dia, durante dez anos, esse carro ficará tão destruído quanto o primeiro. Essas pequenas marteladas equivalem ao conceito de Marcas Emocionais. Ou seja, as Marcas Emocionais são pequenas agressões que acumulamos ao longo da vida e que, ao se somarem, vão estabelecendo crenças e gatilhos emocionais que nos trazem muito prejuízo, muitos problemas, sofrimentos, angústias e limitações.

A título de exemplo, vou relatar o caso muito antigo, de um cliente*.
Imagine uma pessoa que cresceu ouvindo dos seus pais que ele precisava estudar muito porque senão, não seria nada na vida. Agora, imagine que isso foi repetido nas mais variadas situações, de forma ameaçadora, em forma de alerta, e até mesmo em tom de profecia…  só tem um detalhe. Essa pessoa não gostava de estudar. Era alguém que tinha uma veia muito mais empreendedora, voltada muito mais para a prática, para realizar as coisas e ficar estudando conceitos teóricos a deixava entediada.

Essa pessoa chegou à minha clínica aos 56 anos de idade, extremamente frustrada. A sua queixa era que havia fracassado  sucessivamente em dez negócios em quatro ramos de atuação diferente, e em 5 casamentos, tendo sido o fim deste último casamento que a fez procurar ajuda.

Como você já deve ter imaginado,  o que ocorreu com ela é que as centenas de vezes que os seus pais a ameaçava, dizendo que se ela não estudasse não seria nada na vida, foi criando marcas emocionais, e pouco a pouco, instalando nela a crença de que ela só poderia ser alguém na vida, que a sua vida só daria certo se estudasse. Como ela não conseguia estudar… óbvio que ela fracassaria. Como realmente fracassou¹.

De Onde Vêm os Traumas Emocionais

Os traumas emocionais podem ter origem até mesmo na vida intra-uterina ( e temos dezenas de casos em que isso aconteceu), sendo mais comum no período de desenvolvimento emocional da pessoa, ou seja, no período que compreende desde a adolescência até o início da vida adulta, isso porque é um período em que nos sentimos mais inseguros e não temos uma compreensão tão ampla de nossas potencialidades e realidade. naturalmente, independente da idade  ou da fase da vida, todo mundo está sujeito a passar por traumas emocionais.

Os traumas também não dependem de condições específicas. Podem ter origem no lar, no seio da família, em situações vivenciadas na vida profissional, na vida amorosa ( como no caso de traições, humilhações, abandonos, etc.) ou em qualquer outro ambiente ou situação da vida.

A Pergunta Mais Importante: Afinal, Tem Tratamento Efetivo?

A resposta é um sonoro e animador SIM. Costumo dizer que o avanço tecnológico no mundo não tem se dado apenas no mundo da eletrônica, que é a área que mais chama a atenção com seus avanços. O universo da terapia tem progredindo imensamente nos últimos 30 anos e hoje já temos tecnologia terapêutica avançada, que nos permite reprocessar os registros traumáticos impressos no psiquismo, enfraquecer a carga emocional do trauma e instalar crenças funcionais, positivas e libertadoras. E todo o processo é feito a partir de uma estrutura lógica! Sim, porque o mundo emocional possui uma estrutura lógica bem definida. Isso facilita muito o tratamento terapêutico, porque nos permite esclarecer ao cliente qual a lógica do seu problema, como está estruturado e quais os métodos que iremos utilizar para resolvermos, em conjunto, o problema. Isso dá muito mais segurança à pessoa que busca tratamento terapêutico para reprocessamento emocional de traumas, porque ela passa a se sentir no controle da situação, sabendo exatamente oque acontece a cada passo do processo.

Tudo isso também nos permite trabalhar de forma muito focada na resolução de problemas, ou seja, fazendo uma Terapia Breve, o mais breve que o caso permita ser possível.

*Por motivos éticos óbvios, o relato está descaracterizado visando impossibilitar o reconhecimento do cliente citado.
¹Essa pessoa concluiu o tratamento com êxito, retomou um sonho antigo e hoje, quase uma década depois, é muito bem sucedida na profissão que escolheu.

Fale Conosco

Seu nome (obrigatório)

Seu telefone (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem

Sobre Jair Soares Psicólogo

Jair Soares - Psicólogo (CRP02/17.569), Hipnoterapeuta e presidente da Associação Brasileira de Psicologia e Positiva e Coaching - ABRAPPO.

2 Comentários

  1. Josiane Vilarim

    Eu preciso de ajuda no meu campo emocional tenho 46 anos,2 casamentos fracassados e gosto de uma pessoa que não senti o mesmo por mim.Isso ta me deixando ser uma pessoa triste, angustiada,com vontade de sumir e me sinto deprimida sem saber o que fazer. Você pode me ajudar?

    Responder
    1. Jair Soares Psicólogo

      Provavelmente, sim, meu caro.
      Quando há um sequestro emocional, como parecer ser o seu caso, a utilização de técnicas adequadas tende a reestruturar o funcionamento emocionalmente.

      Enviei resposta por email também.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *